O Tarô ou Tarot - por vezes confundido com a cartomancia - é composto de 78 cartas, sendo 22 arcanos maiores e 56 arcanos menores. Os arcanos menores são as cartas de jogar do baralho comum. É de fato um jogo de cartas para invocar o dom da intuição.

Ao fazer uma consulta de tarô percebe-se que as cartas são um meio de expressão da intuição do tarólogo (às vezes erroneamente chamado de cartomante); portanto é ele que de fato define a leitura, e não o jogo de cartas propriamente dito.

Sendo assim, a intuição é fundamental para estabelecer uma leitura rica e ampla. No entanto, uma interpretação exclusivamente técnica das cartas acarreta um resultado bastante pífio, convertendo o tarólogo em um leitor mediano ou até mesmo medíocre.

Também conhecido como jogo da sorte ou cartas da sorte, nos 78 arcanos (vem do latim arcanu e significa secreto ou oculto) estão representados os 4 elementos pertinentes ao nosso planeta: o Ar simbolizado pelos ouros e moedas, o Fogo pelas espadas ou gládios, a Água pelas copas ou taças e a Terra pelos paus ou bastões.

O ocultista Eliphas Levi (1810-1875, pseudônimo do francês Alphonse Louis Constant) foi o primeiro a metodizar as cartas da sorte. Ele percebeu uma curiosa correspondência dos 22 arcanos maiores com as 22 letras do alfabeto hebraico e, consequentemente, uma inevitável relação com a Kabalah Hebraica. Esta relação chamou atenção de Papus (1865-1916, pseudônimo do espanhol Gérard Anaclet Vincent Encausse) e do mago Aleister Crowley (ou Edward Alexander Crowley, 1875-1947), ao ponto de influenciar seus estudos esotéricos.

Embora a sua origem seja indeterminada, alguns estudiosos acreditam que o tarô possa ter surgido no Egito Antigo a partir do livro de Thoth (deus egípcio das ciências e da magia, simbolizado com a cabeça de íbis e também conhecido como Hermes Trimegisto, já que é associado ao deus grego Hermes).

Desta forma, a criação deste baralho seria adaptação das páginas do livro de Thoth e foi levado para a Europa no século XIV por adeptos da antiga religião persa do Zoroastrismo (religião monoteísta fundada na Pérsia Antiga pelo profeta Zaratustra, chamado pelos gregos de Zoroastro).

Artigo escrito pelo Vidente Clayton  José Clayton Donizetti Vieira  |     07/01/2017 - 19:51:12 hs.  |   Artigos metafísicos, científicos e esotéricos  3º artigo

Próximo artigo  Próximo artigo:

O Esoterismo pode de fato libertar a pessoa da depressão

Lista completa de artigos  Acessar a Lista completa de Artigos Esotéricos